Grupo de ciclistas fazem protesto em Palmas após quatro mortes no final de semana.

Grupos de ciclistas se reúnem na noite desta segunda-feira (10) na praça dos Girassóis, no centro de Palmas, para protestar contra a morte de ciclistas. É que quem pratica a modalidade está com medo, já que em um intervalo de 10 dias, quatro ciclistas morreram durante acidentes em rodovias estaduais. As vítimas foram atropeladas e mortas enquanto praticavam o esporte. (Veja o vídeo abaixo)

O último acidente foi neste sábado (8). Os advogados Valdonez Sobreira de Lima, de 47 anos, e Thiago Germano Santos, de 34 anos foram atropelados por um carro enquanto praticavam o esporte na TO-010, via que liga a capital à Lajeado. Eles não resistiram.

De acordo com os manifestantes, o ato é para pedir mais segurança e respeito aos atletas que praticam a modalidade. Eles cobram mais fiscalização e estrutura para os ciclistas.

Em um trio elétrico os ciclistas fazem desabafos e pedem que os órgãos invistam em espaços para a prática esportiva, como ciclovias. Os grupos também fazem homenagens e pedem justiça pelas mortes dos colegas.

O ato gerou aglomeração. Agentes de trânsito e equipes da Polícia Militar (PM) estão no local.

A prática do pedal ganhou mais adeptos em Palmas e no interior do estado, principalmente durante a pandemia do novo coronavírus. Ciclistas percorrem as avenidas e rodovias que dão acesso à capital.

As mortes

Os advogados Valdonez Sobreira e Tiago Germano morreram após serem atingidos por carro na TO-010, entre Palmas e Lajeado. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) disse que foi acionado para prestar socorro e quando chegou ao local encontrou os dois ciclistas sem vida.

O motorista responsável pela batida teria feito o retorno com destino a Palmas, mas abandonou o automóvel na beira da estrada. Nesta segunda-feira (10) a defesa disse que ele deixou o local por medo de linchamento e que ficou com medo de represálias por causa da aglomeração que se formou no local.

Thiago [de [oculos] e Vadonez morreram na TO-010 — Foto: Divulgação

Mas o atropelamento dos dois advogados não foi o único nos últimos dias.

No fim de julho outros dois ciclistas morreram enquanto andavam de bicicleta na TO-080, em Paraíso do Tocantins. No momento do acidente Thiago Krygsman Horácio, de 35 anos, e Thiago Batista Branquinho Moreira, de 32, estavam passeando e praticando atividades físicas, na descida da Serra do Estrondo.

Na época a Polícia Militar informou que a carreta seguia no sentido Palmas – Paraíso, quando perdeu o controle e atingiu os ciclistas. Com o impacto, um deles teve o corpo carbonizado e uma das pernas amputadas.

Após o atropelamento, o caminhão bateu na encosta da serra e pegou fogo. As chamas também atingiram a vegetação nas margens da rodovia, mas foram controladas pelos brigadistas florestais.

Thiago Krygsman [à esq.] e Thiago Batista [à dir.] são os ciclistas que morreram em Paraíso do Tocantins — Foto: Montagem/G1

Comentários

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *