Morre aos 53 anos Kibb Barreto pioneira do jornalismo no Tocantins

Kibb Barreto, como era conhecida, ficou por mais de três meses internada no Hospital Geral de Palmas e não resistiu.

A jornalista Schislene Souza Barreto, conhecida como Kibb Barreto, de 53 anos, morreu na manhã deste domingo (31), em Palmas. Ela estava internada no Hospital Geral de Palmas há mais de três meses e não resistiu após contrair sepse.

A sepse ocorre quando substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea para combater uma infecção desencadeiam uma inflamação em todo o corpo.

Durante a internação, foi descoberto um câncer, que não chegou a ser tratado, por causa da infecção.

Kibb era jornalista pioneira no estado e já ocupou o cargo de vice-presidente da extinta Redesat. Ela deixa dois filhos.

“Chegou a Palmas no início de tudo, se apaixonou por essa terra, e fez dela o cantinho mais que especial. Criou os filhos (Yuri e Lincoln) e laços de amizades, conquistou amigos inseparáveis”, disse a nota de pesar enviada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Tocantins.

Em nota, o governador Mauro Carlesse lamentou a morte da profissional. “Kibb Barreto, além de uma consolidada carreira, deixa um legado de luta por sua classe e o bem de informar por meio de um jornalismo isento e fundamentado na liberdade de expressão e na verdade”, disse.

O presidente da Assossiação Comercial e Industrial de Palmas –ACIPA e CEO do Grupo Jorima, Joseph Madeira em nota de pesar enviada a nossa redação lamentou a morte da jornalista, “Profissional respeitada e querida pelos colegas, seu legado é de alguém que contribuiu imensamente com o desenvolvimento da comunicação da nossa capital”. Disse Joseph.

O corpo dela será velado e enterrado em Goiânia (GO).

*Com informações da Agência Tocantins

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *