Carlesse troca carreatas por caminhadas em apoio aos caminhoneiros

Governador interino e candidato na eleição suplementar do dia 3 de junho, Mauro Carlesse (PHS) anunciou nesta quinta-feira, 24, a suspensão de todas as carreatas previstas em sua campanha. As que aconteceriam em Miranorte e Miracema nesta tarde foram substituídas por caminhadas e reuniões.

“Os caminhoneiros tem meu total apoio em suas reivindicações. E por respeitar a nossa população, que já começa a sofrer com o desabastecimento de combustível não só no Tocantins, mas em todo o Brasil. Estou suspendendo todas as carreatas da campanha até que o fornecimento de combustível seja normalizado, ou seja, que o governo federal dê a solução para este problema”, disse Carlesse.

O governador interino disse ainda que, na medida do possível, manterá a agenda de campanha e avisa que as movimentações que estavam previstas para acontecer através de carreatas serão substituídas por caminhadas.

Manifestação nacional
Desde segunda-feira, 21, caminhoneiros tocantinenses decidiram aderir ao protesto que ocorre em vários pontos do País contra a alta do preço dos combustíveis. Além do Tocantins foram registrados atos em ao menos 21 outros estados. Insatisfeitos com o preço do diesel, que subiu 1,76% nas refinarias, na semana passada, os condutores de veículos de carga queimaram pneus nos acostamentos e bloquearam rodovias.

A política, que prevê reajustes com maior frequência, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional e também a oscilação do dólar, começou a valer em 3 de julho do ano passado. Em maio, já foram anunciadas 10 altas e 5 quedas no preço do litro do diesel. No caso da gasolina, foram 12 altas, 2 quedas e uma estabilidade.

O presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta terça-feira, 22, após reunião em Brasília com os ministros da Fazenda, Eduardo Guardia, e de Minas e Energia, Moreira Franco, que a política de reajustes dos preços de combustíveis da empresa não será alterada.

*Com informações da Ascom

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *