Em visita surpresa, Trump serve jantar de Dia de Ação de Graças a militares no Afeganistão

O presidente dos Estados UnidosDonald Trump, fez uma visita surpresa aos militares norte-americanos no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — data em que se comemora o Dia de Ação de Graças. É a primeira visita dele ao país desde que tomou posse, em 2017.

Ainda na base de Bagram, Trump conversou com o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghan, sobre retomar as negociações para um acordo de cessar-fogo com a milícia Talibã (saiba mais no fim da reportagem). Ele ainda se encontrou com cerca de 1,5 mil militares norte-americanos, e serviu jantar de Dia de Ação de Graças a eles.

“Não há nenhum outro lugar onde eu gostaria de celebrar o Dia de Ação de Graças”, disse Trump.

Donald Trump, presidente dos EUA, serve jantar de Ação de Graças a militares no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/ReutersDonald Trump, presidente dos EUA, serve jantar de Ação de Graças a militares no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

Donald Trump, presidente dos EUA, serve jantar de Ação de Graças a militares no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

Trump voou a bordo do avião Air Force One rumo ao Afeganistão durante a noite. O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, Robert O’Brien, participou da viagem junto com uma pequena comitiva de assessores. Todos os celulares a bordo foram confiscados, relata a agência Associated Press.

A estadia de Trump no Afeganistão, porém, foi rápida. Ainda nesta tarde (horário de Brasília), o Air Force One decolou de volta aos EUA. O presidente deve chegar a tempo para passar a noite do Dia de Ação de Graças na Flórida.

Na terça-feira, Trump usou seu poder para “perdoar” Butter, um peru que será poupado e não irá para a mesa no jantar do Dia de Ação de Graças. Veja vídeo:

Trump 'perdoa' peru Butter às vésperas do Dia de Ação de Graças

Trump ‘perdoa’ peru Butter às vésperas do Dia de Ação de Graças

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa diante de militares norte-americanos em base no Afeganistão — Foto: Tom Brenner/ReutersPresidente dos EUA, Donald Trump, discursa diante de militares norte-americanos em base no Afeganistão — Foto: Tom Brenner/Reuters

Presidente dos EUA, Donald Trump, discursa diante de militares norte-americanos em base no Afeganistão — Foto: Tom Brenner/Reuters

No sábado, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, também fez uma visita surpresa ao Iraque para reafirmar o apoio aos curdos que vivem no país na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico — sobretudo após Trump retirar os militares norte-americanos que ajudavam os curdos na Síria.

Acordo de cessar-fogo

Donald Trump, presidente dos EUA, participa de encontro com presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/ReutersDonald Trump, presidente dos EUA, participa de encontro com presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

Donald Trump, presidente dos EUA, participa de encontro com presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

No encontro com o presidente afegão, Ashraf Ghani, o norte-americano externou a esperança em conseguir um cessar-fogo com os militantes do grupo terrorista islâmico Talibã. As chances para um acordo retornaram depois que os governos dos EUA e do Afeganistão trocaram, há uma semana, prisioneiros que estavam detidos nos respectivos países.

“Eles [Talibã] dizem que terá de haver um cessar-fogo. Eles não queriam, mas agora eles querem um cessar-fogo, creio eu. Vamos ver o que acontecerá”, disse Trump nesta quinta.

Ghani reafirmou em postagem nas redes sociais que discutiu a questão do Talibã com Trump. “Ambos os lados enfatizaram que se o Talibã for sincero em seu comprometimento em alcançar um acordo de paz, eles devem aceitar um cessar-fogo”, escreveu o presidente afegão.

“Nós também enfatizamos que, para que a paz seja duradoura, os portos seguros dos terroristas fora do Afeganistão precisam ser desmantelados”, acrescentou.

Ashraf Ghani

@ashrafghani

Today, I met with President Donald Trump (@realdonaldtrump) at the Bagram Air Base.

View image on TwitterView image on Twitter
150 people are talking about this

Presidente dos EUA, Donald Trump visita de surpresa base norte-americana no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/ReutersPresidente dos EUA, Donald Trump visita de surpresa base norte-americana no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

Presidente dos EUA, Donald Trump visita de surpresa base norte-americana no Afeganistão nesta quinta-feira (28) — Foto: Tom Brenner/Reuters

Em setembro, Trump cancelou uma reunião secreta prevista com os militantes do Talibã após a morte de um militar norte-americano em atentado em Cabul, capital afegã. A facção islâmica reagiu e ameaçou o governo dos EUA ao dizer que o país “sofreria mais do que ninguém”.

O governo Trump iniciou há um ano negociações diretas e inéditas com o Talibã, facção expulsa do poder do Afeganistão na intervenção militar ocorrida depois dos ataques em 11 de setembro de 2001.

Washington estava prestes a fechar um acordo para permitir o início da retirada progressiva dos cerca de 13 mil soldados americanos mobilizados no Afeganistão em troca de garantias por parte do Talibã de uma redução da violência e do lançamento de negociações de paz diretas com o governo de Cabul, condição que os rebeldes vinham rejeitando até o momento.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *