Árbitro é agredido durante torneio de base no Tocantins pela segunda vez em 2019

Um episódio de agressão contra o árbitro Marcos Mateus foi registrado neste domingo (17), na disputa do I Campeonato de Futebol de Base, realizado neste fim de semana, em Palmas (TO). O árbitro apitava um jogo válido pelas semifinais da competição entre 1º BPM x Palmas, na categoria sub-17 – não federado. Marcos Mateus já havia sido vítima de agressão em junho desse ano, na final do Tocantinense Sub-17, entre Capital (Flapalmas) x 1° BPM – competição federada.

Conforme o árbitro, no episódio desse domingo, as duas equipes entraram bastante nervosa, e aos dois minutos de partida foram expulsos dois jogadores – um do Palmas, e outro do 1° BPM. A agressão aconteceu no fim da partida. O árbitro ficou com hematomas pelo corpo.

– Assim o jogo ficou tranquilo dentro de campo. Não houve questionamentos no intervalo de absolutamente ninguém. Já no fim do segundo tempo a equipe do 1°BPM que estava perdendo por 1 a 0 tentava o empate. Após a cobrança de um tiro livre indireto lançado na área, o jogador cabeceia a bola e ela toca no chão e no travessão e sai, e a bola não entra. (Lance que somente o assistente tem a convicção que bola ultrapassar a linha de meta (gol) ou não). Como tinham muitas pessoas no lado interno do campo, os atletas em campo do 1°BPM ficaram bastante enfurecidos.

– Após isso, dois minutos depois encerrei a partida e me dirigia para o centro do gramado quando fui covardemente agredido pelo atleta do 1°BPM, [jogador menor de idade] com uma voadora nas minhas costas. Cai no chão na hora, pois não esperava tal golpe. Outros atletas da mesma equipe desferiram chutes e pontapés. Até a chegada dos integrantes da arbitragem. Imagina a dor que estou sentindo. Minhas costas doendo. Os braços por ter segurado os meninos para não ser mais agredido. – relatou o árbitro. A competição não é federada. O Palmas avançou à final com vitória por 1 a 0.

O organizador da competição, Fleury Júnior, estava no local e confirmou a agressão. Fleury Júnior lamentou o ocorrido na partida.

O árbitro disse que não fez ocorrência do caso, porém, em outro episódio em junho chegou a registrar o caso na polícia. No episódio de junho, o jogo envolvia o 1° BPM x Capital (Flapalmas).

Marcos Mateus com a bola na mão em partida oficial pela FTF — Foto: DivulgaçãoMarcos Mateus com a bola na mão em partida oficial pela FTF — Foto: Divulgação

Marcos Mateus com a bola na mão em partida oficial pela FTF — Foto: Divulgação

Na decisão entre 1° BPM x Capital (Flapalmas) em junho, Marcos Mateus contou que o jogo seguia normal, apesar da rivalidade grande entre as duas equipes. Mas no fim da decisão por pênaltis (alternadas), teve uma confusão em que ele foi agredido.

– Nas disputas de pênaltis estavam as duas equipes empatadas e já estávamos nos pênaltis alternados. O 1°BPM fez 5 a 4 e o Capital (Flapalmas) precisava fazer para empatar a disputa. Foi quando o atleta do Capital cometeu uma finta Ilegal [a popular paradinha] na última passada, sendo a mesma proibida nas regras do futebol (FIFA/CBF). O pênalti foi considerado como perdido e consequentemente sagrando a equipe do 1°BPM campeã. Todos os integrantes do Capital vieram em cima de mim, e do trio de arbitragem por uma decisão correta. Me zombaram. Fui agredido com um pontapé e xingado. Tive que ir embora quase no camburão da PM. Na ocorrência, a informação é que agressão física foi por parte de um jogador (menor) do Capital (Flapalmas).

Marcos Mateus faz parte do quadro da Federação Tocantinense de Futebol (FTF) desde 2018.

O que diz o 1º BPM

O clube lamentou o ocorrido e confirmou a agressão. Segundo a diretoria, ao final da partida das semifinais (categoria sub-17) o atleta inconformado com a decisão da arbitragem em um lance decisivo da partida acabou agredindo o árbitro. A diretoria disse que infelizmente era algo que jamais esperava que fosse acontecer uma atitude dessa com atletas do clube.

Leia nota na íntegra

Uma situação completamente isolada, única, em mais de 15 anos de existência do projeto. O clube lamenta muito o ocorrido. Pedimos sinceras desculpas a equipe de arbitragem do Tocantins, em especial ao árbitro agredido.

Inclusive o atleta mostra-se completamente arrependido pelo ato impensado, e também disposto inclusive a se desculpar pessoalmente com o árbitro.

O 1° BPM preza pelo bom comportamento do atleta dentro e fora de campo, e sem dúvidas, uma situação essa entristece muito dos os membros do clube.

Medidas disciplinares foram tomadas conforme regimento interno. O projeto tem muito claro para todos os alunos os princípios basilares do projeto, que objetivam a formação do atleta e principalmente a formação da pessoa.

O que diz o Capital (Flapalmas)

Leia na íntegra

FlaPalmas informa que é uma equipe que sempre se preocupa com a formação do cidadão e acredita muito no esporte enquanto fator de inclusão social e educacional, principalmente no que tange as categorias de base.

Em relação ao nosso projeto do Sub-17 temos um foco social e nenhum dos nossos atletas paga qualquer valor para treinar e jogar pelo clube. O objetivo é oportunizar o sonho desses jovens se tornarem jogadores de futebol. Local, na qual buscamos uma parceria com o Capital, time profissional que tem os mesmos princípios do Flapalmas.

Apesar do nosso clube fazer toda a parte educacional durante os treinos e jogos, os atletas nessa idade têm um turbilhão de emoções e acabam agindo por impulso.

No caso em questão, o ex-atleta (menor de idade) teria sido expulso, e estava fora do campo, quando acabou a partida, e a nossa equipe foi derrotada por um pênalti anulado pelo árbitro. O jogador saiu correndo em direção ao arbitro. Ressaltamos que não presenciamos a agressão que o arbitro relata, mas não concordamos com qualquer atitude dessa característica. É importante destacar que os presidentes dos clubes Flapalmas e Ricanato (Capital) entraram em campo e afastaram seus jogadores que estavam emocionalmente abalados e revoltados com a atitude do árbitro.

Como forma de punição e exemplo aos demais jogadores, o atleta foi afastado e não faz mais parte da nossa equipe desde aquela época. O atleta se mostrou muito arrependido, mas optamos por manter a punição apesar das declarações de arrependimento e pedido de desculpas.

Ressaltamos que o Flapalmas foi campeão esse fim de semana da Copa Tocantins Sub 17, sem nenhuma punição de cartão vermelho em nenhuma partida, mostrando a evolução educacional e entendimento do projeto pelos atletas.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *